Secretaria da Mulher

Secretaria de Políticas para a Mulher

@SECRETARIAMULHERSP

Início » SP Mulher fecha macrocampanha de combate a violências com acordo para ofertar cursos a pessoas com deficiência
Share

SP Mulher fecha macrocampanha de combate a violências com acordo para ofertar cursos a pessoas com deficiência

Acordo com a Secretaria de Pessoas com Deficiência vai reunir protocolo Não se Cale ao programa Todas In-Rede

A Secretaria de Políticas para a Mulher encerrou, nesta segunda-feira (11), os “21 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher”, a 1ª macrocampanha estadual pelo fim da violência, que ocorreu entre 20 de novembro e 11 de dezembro. A cerimônia de encerramento aconteceu no Memorial da América Latina, sede da SP Mulher, e contou com a assinatura de um acordo de cooperação com a Secretaria de Direitos da Pessoa com Deficiência.

A secretária-executiva de Políticas para a Mulher, Teresinha Neves, abriu o encontro agradecendo os presentes e as equipes da rede pública que atuaram na macrocampanha. “Este é o início de um novo tempo para a pauta da mulher. O enfrentamento da violência deve ser trabalhado em todos os dias do ano, porém, nesses 21 dias pudemos levar essa mobilização por todo o estado. Estamos aqui para fazer valer a política de apoio à mulher, a escuta acolhedora, e o fortalecimento da rede de apoio pública”, destacou.

Em seguida, o secretário estadual de Direitos da Pessoa com Deficiência, Marcos da Costa, e a secretária-executiva da SP Mulher, Teresinha Neves, assinaram o protocolo de intenções entre as secretarias, que tem como objetivo unir esforços para ampliar o alcance dos cursos oferecidos pelo programa TODAS in-Rede, agora integrando o Protocolo Não se Cale. O protocolo capacita equipes de diferentes estabelecimentos para agir com eficácia diante de situações de assédio, abuso, importunação ou violência contra mulheres.

O secretário Marcos da Costa ressaltou o potencial do Todas in-Rede e a importância da parceria. “O programa Todas in-Rede tem levado prevenção à violência, autonomia financeira e cuidados com a saúde às mulheres com deficiência. Nosso trabalho de redespertar a liderança feminina também é essencial, e essa parceria com a SP Mulher torna o estado mais justo e inclusivo”, pontuou.

Na ocasião, também foi assinado um acordo de cooperação entre a SP Mulher e a Univesp, com o objetivo de unir esforços para disponibilizar os cursos de capacitação de funcionários de bares e restaurantes do Protocolo Não se Cale, a fim de identificar e evitar situações de risco e violência para a mulher que frequenta ou trabalha em tais ambientes.

A diretora acadêmica da Univesp, Simone Teles, presente no evento, destacou a importância do acordo. “Com esta parceria, passamos a ser pessoas multiplicadoras, pois é muito importante trabalharmos juntos na causa para garantir que os estabelecimentos estejam em acordo com o protocolo”, destacou.

Também esteve no encontro o presidente da Univesp, Marcos Borges. “Para a Univesp, este é uma final de ano simbólico, pois estamos firmando um acordo extremamente importante, e é muito gratificante poder trabalhar em parceria com a SP Mulher”, disse.

O evento de encerramento dos 21 dias, que visa conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressões contra meninas e mulheres em todo o mundo, também abordou um balanço das ações realizadas durante a campanha, que contou com 18 agendas presenciais e uma mobilização virtual nas redes oficiais do Governo de SP, entre lives, depoimentos e estatísticas para incentivar a quebra dos ciclos de violências.

Ações na capital

Durante a campanha, a SP Mulher realizou seis ações na capital, sendo elas: blitz do Procon em bares e restaurantes da Vila Madalena, Vila Olímpia e Tatuapé para orientações do Protocolo Não se Cale; distribuição de cartilhas nas regiões da Barra Funda e Freguesia do Ó; apresentação do Protocolo Não se Cale na Câmara Municipal de São Paulo; a formatura de mais de 400 alunos do curso do Nao se Cale no Palácio dos Bandeirantes; o evento de encerramento dos 21 dias marcado pela assinatura de protocolos de intenção com a Secretaria de Direitos da Pessoa com Deficiência e Univesp.
Além disso, também foram realizadas duas ações significativas na Grande São Paulo: a apresentação do Protocolo Não se Cale em Guarulhos e a divulgação do protocolo na Marcha para Jesus em Osasco, no Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher.

Ações no interior paulista

A SP Mulher também levou iniciativas para cinco cidades do interior paulista. As ações contaram com a apresentação do Protocolo Não se Cale em Sorocaba, Jaú e Bauru; Fórum Itinerante de Prevenção e Combate à Violência e Várzea Paulista e a inauguração da Casa da Mulher em Barretos.
Ainda, no litoral paulista, foram realizadas as apresentações do Não se Cale em Bertioga e Guarujá.

Ações virtuais

Para a abertura dos 21 dias, a SP Mulher realizou uma live explicativa com o Sebrae e o Procon uma live para orientar empresários e profissionais dos setores de gastronomia, lazer e entretenimento sobre o curso obrigatório do protocolo Não se Cale.

Além disso, as ações virtuais contaram com a publicação de mais de 60 conteúdos nas redes sociais, envolvendo a divulgação de agendas, posts de conscientização sobre os tipos de violência e depoimentos de mulheres que quebraram o ciclo de violência doméstica.

Os conteúdos foram construídos a partir de uma identidade visual com cores vibrantes, que tem como tema o poder da fala como o primeiro passo para a quebra do ciclo de violência. Com o rompimento, os próximos passos envolvem o apoio em saúde e segurança, a visibilidade da mulher e o desenvolvimento de políticas públicas.